quarta-feira, setembro 06, 2006

Às vezes a gente dá uma pausa - pra acelerar!

Queria achar uma palavra no dicionário pra poder traduzir o tamanho do meu sentimento. Ora confundo com vida, ora confundo com vontade e ora junto toda forma de existir, amar e poder ser alguém que valoriza as diversas e enormes coisas simples da vida.
Quando era criança, não muito longe do que sou hoje, sentia algumas dores nas pernas - parecia dores musculares de menina bagunceira - que minha mãe nomeou de "dor de crescimento" pra eu parar de fazer pirraça. Então, toda vez que àquela dorzinha surgia eu logo sabia de que se tratava, meus ossos cresciam e eu sentia dores. E hoje eu sinto mais ou menos a mesma coisa, sinto dorzinha. Dorzinha no coração - e não preciso perguntar pra minha mãe se é dor de crescimento porque eu já to grande no tamanho pra saber a resposta - eu sei que é a dor de crescimento - mas crescimento de consciência, meu coração que expande, minha alma que se eleva. Estou amadurecendo e virando gente grande, entende?
E pra toda mudança há dorzinhas, que seja nos ossos, no coração ou na alma. E o mais importante é o tratamento. Estou indo me tratar!!!!!!!!!!!

Resolvi cair na aventura de mergulhar profundamente em mim mesma, descobrir as maravilhas do meu Oceano. Vou fazer barulho e criar agito, acelerar como se faz em pista. Vou causar total impacto, explosão interna. Vou tirar meu fôlego. Sentir o gosto do meu juízo. Ser por ser, e ser muito mais eu. Achar quantas Danielle vive em mim. Vou apenas me encontrar. Essa crise existencial a gente cura com altas doses. Sem controle, sem perguntas, sem respostas. Estou permitindo ser assim, por alguns dias...

Pessoinhas que fazem parte da minha alma que não cabe em mim. Consegui emendar o feriado de 7 de setembro e resolvi decolar vôo - de pensamentos e coração - dei férias de poucos mas intensos dias. Sozinha, solitária mas vou feliz.

Matar saudade do irmão, da cunhada e o mais importante : a pequena Clara - minha sobrinha e afilhada que mora no topo do meu mundo - passear pelas Ruas românticas de Paraty em todo charme ao lado dela, escutar um bom jazz, ir à praia e ler um lindissimo livro.


Eu não sou mulherzinha de sofrer por amor em algumas noites de insônia, sou mulher de sofrer por amor com sol rachando ou com frio maltratando mas................ ser feliz por amar!

11 comentários:

Déborah Tolentino disse...

Ei Diva! Isso mesmo, dá lugar no seu dia pro seu coração bater num ritmo diferente, pra curar as próprias feridas... Tire qualquer maquiagem, se olhe bem, se reconheça como uma mulher-menina, nao mais uma menina-mulher. O tempo anda, as coisas mudam, e o importante é sempre ser feliz. Primeiro com a gente, depois com os outros.
Boa viagem, vá com Deus e fique bem!
bjoks da Dé...

vaaaaaaaaaaaaaarrrrr disse...

Voe Por todo mar, e volte aqui...
pro meu peito....
vai com deus....
se cuide.....

a superlativa disse...

rs... achei que eu fui a única criança a ter "dor do crescimento"... rs
(mas ainda hj faço manha digo pro meu pai que ainda as tenho...)

mas essa dor que tem outro significado qdo q gente cresce... de certa forma é boa... ensina néam?!

e deixemos de ser "mulherzinhas" de dores noturnas e possamos curtir nossas dores em qualquer lugar! rs

Anônimo disse...

é isso ai sorella eu te amo a vida e assim tudo é eterno enquanto dura seja vc e mais , seja felitz de verdade .......! seu fratello by junior.

Renato disse...

Agora falta ir conhecer a outra pequena Clara! A mais lindinha do mundo.

Rebeca disse...

'dor de crescimente', já ouvi isso também, o engraçado é que eu sentia tanta dor, e crescer q é bom....nada! continuo pequena como era qdo criança!!
hehehe
sei o que vc está passando, sei o que é isso.
porém só digo uma coisa: bom ou ruim...tudo passa!
beijos e boa semana

B R E N A disse...

Amiga infinito, ganhei meu dia hoje!
A melhor metáfora dos últimos tempos encontrei aqui no seu texto sobre a "dor do crescimento"... é isso.

Ouso dizer mais... o que eles dizem nas academias: "no pain, no gain" (se não há dor, não há ganho). É por aí mesmo...

Bjos, amiga maravilhosa do coração maravilhoso!

:*

Rodrigo "Kiko" Torres disse...

Pelo visto já curou a almatite. Não exite remédio melhor que praia, cachoeira e uma cidade inteira Para Ti.
Mas é bom ver que vc já voltou para BH.
Beijones.

vc sabe neh disse...

olha só...gostei dessa danielle....tbem tenho minhas dores..minhas emoçoes meus pensamentos...

( lah vou eu com mais um comentario grande e inutil...mas se liga só )

- crescer doi, exige esforço cuidados...lembra da tal analogia capilar...
" ohh meu cabelo esta todo quebrado e eu preciso deixa-lo crescer que que fazer?
- cortar.
pensa nisso..

Thiago Quintella disse...

Sofrer por amor nos mostra mais humano, recusar esse sofrimento é sofrer em dobro. A palavra pode ser desejo. Ou melhor, saber qual é o desejo.

Anônimo disse...

"E hoje eu sinto mais ou menos a mesma coisa, sinto dorzinha. Dorzinha no coração - e não preciso perguntar pra minha mãe se é dor de crescimento porque eu já to grande no tamanho pra saber a resposta - eu sei que é a dor de crescimento - mas crescimento de consciência, meu coração que expande, minha alma que se eleva." lindo! VEIA POÉTICA.


"Eu não sou mulherzinha de sofrer por amor em algumas noites de insônia, sou mulher de sofrer por amor com sol rachando ou com frio maltratando mas................ ser feliz por amar!" DUCARALHO! VERO! FUERTE!

Aroeira