quinta-feira, janeiro 31, 2008

frisson

Dos ladrilhos sem destino
Espelho meus olhos
Meus ossos meus nossos
Para lá de qualquer vida
Não quero alguma imagem
Só preciso de passagem
Uma estadia na sua alma
Mais que tudo que pensamos
A vida não escurece quando
Digamos,
Mais que imaginamos
Invado reparo o estrago
As esquinas ensurdecem
Pra libertar os tons gemidos
Das brigas largadas e falidas
Nos bancos nas avenidas
De uma cidade mórbida
Como meu corpo estatelado
Meu peito murcho como flor
Que nele só o frio alcança
Sinto o gosto da dor
Nas porções miseráveis de lágrimas
Deveriam estar alcoolizadas
Mas estão sóbrias, que droga!
Todo vazio preenche e habita
Deixa perdido o pensamento
Preso na cortina da janela
Que se fecha ao sol aberto
E a névoa da noite acesa
Desperta
O mesmo céu que está em mim
Na sua cabeça está

Pra quê...

3 comentários:

Lady Vania de Tróia disse...

Lêr-te é como montar um jogo, dá frisson, contorções interiores, calafrios, são na verdade versos de extrema intimidade, retratos por onde circulas e devo confessar:Conheces bem alma humana, Dani...Com pinceladas de delicadeza e a força de tua poesia, desnudas quem te Lêr.

Tudo em teu coração..
beijos.

Helio Dusk disse...

Porque?
Porque gosto tanto assim. E se deixar, vou ficar olhando... Eliminando as dúvidas e retirando as dividas, porque é assim...
As cobranças somem, e ficam $100 contos negativos, e milhões de valores estimados para contar em nossos contos guardados. E se tudo realmente tem um valor, e meus bolsos estão furados, vou contando o preço de cada dia que tenho, pra contar todas as riquezas que existe e imaginei, sem precisar pagar, $100 contar todos os valores que tem... guardados com você.

Helio disse...

Porque?
Porque gosto tanto assim. E se deixar, vou ficar olhando... Eliminando as dúvidas e retirando as dividas, porque é assim...
As cobranças somem, e ficam $100 contos negativos, e milhões de valores estimados para contar em nossos contos guardados. E se tudo realmente tem um valor, e meus bolsos estão furados, vou contando o preço de cada dia que tenho, pra contar todas as riquezas que existe e imaginei, sem precisar pagar, $100 contar todos os valores que tem... guardados com você.