quinta-feira, fevereiro 28, 2008

lucrATIVIDADE



...
Um breve som de bolso

que não contamina ouvido
durante seu trajeto
só carrega o que fica


...

6 comentários:

renato villaça disse...

dedico esses versos aos que se importam em juntar moedas dentro dos bolsos ao invés de estampar suas ídéias no peito das pessoas de graça.

mary disse...

i-pod

hiper-imPERfeito disse...

Eu sei que meu amor
É imperfeito
Mas se ele deixar, vou lhe mostrar
O quanto também
Tenho defeito
Não é pra me gabar
Mas rio do que faço
Eu devia chorar
Eu sei o mal que fiz
Já está feito
Mas lhe pedi perdão, por ser assim
E o coração que
Tenho no peito
Não quer acreditar
Já nem estou mais aqui
Nem em qualquer lugar
Lá vai se embora meu mundo sem mim...
O que há de errado em ser tão errado assim?
Já vou saindo, não precisa empurrar...
Pois meu maior defeito é insistir
Que ele é perfeito,
Que é pura crueldade pedir pra ele mudar
Nem luz, nem espelho,
Nem olhos pra enxergar
Acho que sou alguém
Que nunca vai mudar
Lá vai se embora meu mundo sem mim...
O que há de errado em ser tão errado assim?
Já vou saindo, não precisa empurrar...
Pois meu maior defeito é insistir
Que ele é perfeito,
Que é pura crueldade pedir pra ele mudar

(john)

quem agora não existe disse...

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você

quem agora não existe disse...

do tom.

Pedrinho...poesias... disse...

O SOM NO BOLSO...
CONTAMINA O OUVIDO DES-SAVISADO...
NO TRAJETO DA PAULISTA
CARREGA O PESO DO VERSO...

continua...
para pensar...ainda??!

PEDRINHOrenzi