terça-feira, maio 06, 2008

quando e quantos

quando entre contos
meus quantos e sonhos
uma conta errada
num trocado certo
a luz sem fio
acende um circuito longo
a curva lenta
segue uma rápida reta
o meu salto agulha
descansa plano
correndo a esfera
em certo desencontro
abro as portas
para os olhos rirem
e meu corpo descansar

8 comentários:

makely disse...

Esse é dos bons garota, tô gostando de ver!

mary disse...

a gente não pode parar.

Ricardo N disse...

Te encontrei na comunidade blogs literários; te linkei no Exílio, gostei muito do seu blog!!!

Talita disse...

Lindo poema... te linkei no meu blog. Bjs!

Priscilla disse...

adorei! tudo...

marden disse...

Ha muito não passava por aqui. Não mudou nada! Continua poesia pura! rs

Abração

André Jerico - Revista Trapiches e Projeto Macabéa disse...

Dani

Não esqueci de vc... O texto que vc premiou o Macabelagem encontra-se publicado no mesmo (www.macabelagem.ideiadejerico.com)

Aproveito pra convidá-la a participar desse blog, nos enviando 1 texto por mês.

Caso vc aceite, envie sua minibio pra andre@ideiadejerico.com com foto e dados complementares.

Não deixe de visitar a Revista Trapiches, lançada no dia 08/05, fruto do Projeto Macabéa.

Beijo

André Jerico
Coordenador Geral Projeto Macabéa e Trapiches

PS: quer me passar seu mail e msn, visse?

Rogério Saraiva disse...

"Conto o conto da conta que não foi paga."

r.s.

Saudades