terça-feira, julho 25, 2006

O começo

Minha maior inquietação é não sentir poesia nas coisas e pessoas, principalmente quando se trata do meu Dom. É meu Dom dos momentos poéticos. Meu Dom da sensatez. Meu Dom Juan que consegue ser o maior conquistador dos últimos tempos. E em todas as musas, me resume em uma só. Ele é meu Dom da vida. E eu sou todas embaladas em uma. É uma rima. Um atrativo. Versos sem fim.

Meus olhos se multiplicam. Ele "maltrata" quando acaba de sair do banho. Quando acorda com cara de que a noite foi uma criança. Quando pega no garfo, na colher e nos meu braços. Ele é todo homem e eu sou toda poesia.

Me puxa pro colo, faz carinho calmo e bombeia forte meu coração. Eu conheço bem o santo nome dele, conheço sua história. Aprendi que exagero é complicado, não existe segredo pra relação, mas equilibrio é um bom ingrediente.

Que amor não é um vício mas também precisa de sacríficio. Caibamos nos ajustes e conformes feito pena de ganso em travesseiro - encolhidos e confortáveis. E só por causa do cupido safado que nos flechou, hoje eu enxergo de longe e não forço a miopia, todo sentindo da minha vida permaneceu nos mesmos e criaram mais alguns, inspiradissima, parei de sair sem rumo nas noites e transformei tudo em trabalho, viro "bar girl" em boate de gente diferente, fico 10 horas fazendo caras e bocas em cima do flash, e todo dia eu acordo 7:15 am pra enfrentar trabalho e durmo de madrugada depois do rush que minha cabeça enfrenta. Sem ele faria o mesmo, talvez até mais turbinada pra atropelar a hora que não teria graça. Quero enfrentar o mundo, as sete artes, o Pacífico e todas as poesias. Mas preciso dele. E pra toda história existe um começo, eu apenas já comecei.

15 comentários:

vaaaaaaaaaaaaaarrrrr disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
vaaaaaaaaaaaaaarrrrr disse...

Bom...tudo seria igual, o ceu azul, a lua prateada, os carros nas ruas, a carteira vazia no final do mes....mas de que tudo estou falando? to falando do mundo....este mundo sim seria o mesmo sem vc eu...acordaria na mesma hora, comeria, beberia, estudaria, trabalharia....

porém, nada seria igual, o sorriso no meu rosto, o coração feliz, a boca seca com vontade de beijar, o copro pronto pra me entregar.....

to falando do meu mundo sem vc.......faria tudo igual sim pro mundo lá fora, mas o meu seria menos turbinado e teria menos graça...

te amo

Luiza Lisboa disse...

"Que amor não é um vício mas também precisa de sacrifício."
Yuhuuuuuu... haja sacrifício, pelo menos pra mim! Mas eu prefiro esse sacrifício do que o vazio! Amores inventados são os meus prediletos, não há fardo nem sacrifícios, mas me anima!
Como dizia Cazuza: "O nosso amor a gente inventa só pra se distrair e depois a gente tenta que ele nunca existiu." Mais ou menos isso, acho que escrevi errado!
Amei mesmo o texto, amo toooodos!
Beijinhos!!!

Jana disse...

Belo texto... A gente faria igual, mas sempre tem como dar mais cor não?

Beijos

B R E N A disse...

Dani, amiga infinito, pára tudo!
Que tuuuuuuuuuuuuuuuuudo esse texto!
Olha... conhecendo vocês, agora, consigo ler cada palavra dessa em você. Mágico isso, realmente.
Beijo infinito, linda!

disse...

Lindo o texto.Adorei teu cantinho,obrigado pela visita no Meu Bangalô volte sempre ...Beijos

Rebeca disse...

é maravilhoso sentir assim..
amar...e perceber que o sentimento é recíproco..
espero que esse seja um longo começo pra vc, pois os começos são sempres melhores!!
obrigada por passar no meu blog!
beijos

Aninha disse...

Dani, faltei no encontro né...já soube de tudo!!! Aqui, amei aquela foto sua apontando pra uma estrela ( estou na fase total de reparar em fotos e efeitos!)
Linda , linda!
me adiciona no msn!
bj
Ps. to com inveja das meninas uai! hahaha

Cecilia Cunha disse...

Estive ai em belo horizonte ano passado em Setembro, adorei a sua cidade, em especial o parque da cidade, Mangabeiras, adorei o acolhimento também...
Obrigada pelo seu comentário no meu blogue e vou voltar mais lago para ler o seu, com mais calma.
Até lá um abraço

Carlos disse...

Quero descobrir
Teu corpo, teu suor
Percorrendo, correndo
Sem pressa os instintos.
Deixar mãos
Colarem pernas
Marcarem seios
Rasgarem bocas.
Quero tua descoberta
Feita em meu corpo
Na luxúria nossa de cada dia

Luiz Carlos Reis disse...

Agradeço teus comentários, certamente voltarei à tua janela. As palavras são o começo o meio e o fim das ilusões poéticas, às vezes passageiras, outras vezes inusitadas...sempre eternas.
Fique bem, abraços para tí!

Déborah Tolentino disse...

Ai Dani, que coisa mais linda... O texto e vcs dois... Realmente parei pra pensar e é isso mesmo, quando alguem entra na nossa vida, a gente até faz as mesmas coisas, mas ainda assim fica tudo diferente.. o coração às vezes entra emturbulências mas na maior parte do tempo é pura calmaria... Isso é amor né.
Bjossssssssssss da DÉ

Soul disse...

Ah o amor... todas as vezes que me dedparo com esta palavra minha expiração se torna um hiato.


Soul

Anônimo disse...

Hey what a great site keep up the work its excellent.
»

Anônimo disse...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»