sexta-feira, agosto 04, 2006

A atual mulher moderna

Voltar aos anos 20 não é nada ruim, ainda mais quando se trata da mulher. Uma época em que o mundo era eufórico e as mulheres ainda tinham o posto de moderna sem levantar às 7:15 da manhã. Tinham os pés no mundo e o mundo nas mãos. Elas não poderiam imaginar a verdade de uma mulher moderna. Enquanto os maridos lutavam para encher a geladeira, elas lutavam para encher o coração - deles - se enfeitando. E era em alto estilo (Coco Chanel) que marcavam a elegância e silhueta. Nos bailes os maridões esbanjavam suas melindrosas ao som do Jazz.
Não bastasse tanto luxo e o tempo caminhou. Mas caminhou junto as agonias, ansiedades e consquistas do “eu também posso, eu também sinto, eu também degusto”. Precisou queimar soutien em praça pública pra alarmar tudo e todos que as “modernonas-feministas-fominhas” estavam rebeldes e queriam ser as musas da sociedade. Os anos 20, 30, 40, ... passaram.Ta aí, estamos nos anos dois mil e mais alguns sem entender muito. Chegamos em um posto grande (coloca GRANDE lá no alto) mas não saímos do lugar (continuamos sensíveis, frágeis e sonhadoras). Somos escravas do tempo sem espaço.
E hoje é assim, ser moderna é acordar todo dia pulando da cama já devorando o jornal e café. Com volante nas mãos, salto no acelerador e coração queimando radares, chegamos ao trabalho; mil ligações, mil vozes, mil pensamentos. Ainda temos que permanecer lindas, cheirosas e gostosas. Unhas bem feitas, cara pintada e alma todo dia sendo lavada. Hoje mais que mulheres somos artistas. Precisamos saber todo “beabá”, de culinária a cabeça dos homens, de sexo seguro e delicado a sete artes. Permanecemos (AINDA com tanta briga) em um mundo preconceituoso, maldoso e infinito de mistérios. E pior que tudo isso, é não saber aonde vamos chegar. Conquistamos nosso espaço, continuamos em busca de direitos, deveres iguais e reconhecimento.
Então é isso aí, precisamos saber tanto e montar um machão pra falar que não sentimos. Mas sentimos sim! E sentimos exageradas. A gente sente dor de depilação, dor de cólica e dor de coração. Precisamos ser psicólogas do marido, dos filhos, dos cachorros. Temos que trabalhar, estudar, correr e ainda fazer social.
Agora você concorda que voltar aos anos 20 não é nada ruim? Ao contrário, seria muuuuuuuuuuuuito bom se tudo fosse como antes.
Mesmo sabendo que estou longe dessa realidade, deixei aqui meu discurso marcado, não me conformo com essa dimensão que a mulher fez do mundo dela e hoje nada mais que vítima desse caso, estou aqui fazendo descaso enfrente ao computador (do meu trabalho) da mulher que sou. E será que alguém mais se habilita deixar discurso?
Obs: Hoje é sexta-feira, final de expediente, você acredita que eu vou sentar ali no bar com as amigas pra tomar um chopinho gelado e jogar confissões pros ouvidos? Que nada, depilação marcada hahahahaha.


Beijos mil na alma e um ótimo final de semana recheado de novidades ótimas!!!!!!!!!!!!

16 comentários:

Marcia disse...

Depilação, poxa Dani, ninguém merece com todo esse frio que está rolando; Mas boa sorte e vá l´´a, bom fim de semana pra você, beijos

Pensamentos disse...

Risos
Eu não vou tentar porque nao vou chegar nem perto de tantas coisas sábias e as vezes até tudo do que voce falou rs..
Poxa mas eu trocaria de boa essa depilação pelo chop heim!!!
Bjs

Thiago Quintella disse...

Sensacional análise da mulher moderna. Os anos vinte marcaram uma simulada "emancipação" da mulher no trabalho que se dizia masculino. Movimentos feministas conseguiram algumas coisas, e a mulheres estão provando que competencia independe de sexo (gênero). Em contra partida vemos que a mulher não pdoe deixar de ser mãe, e isso faz com que volte seus sentimentos de antiga, sem ser moderna!

B R E N A disse...

Dani, PUTA QUE PARIU (mulher fala palavrão também, viu?!).

Comecei a escrever um texto com um tema parecidíssimo, sábado, mas vou deletar tudo depois que li o seu texto. PERFEITO.

O melhor texto que li nos blogs nos últimos tempos. NÃO!!! PERFEITO!!!

É isso aí. Não acrescento nem uma vírgula. Você disse tudo.

Beijos, amiga infinita arrasadora e moderna!

André "Goiano" Amaral disse...

Que bom que gostou! Na verdade, era apenas uma grande desculpa para viajar e escrever uma série de bobagens. Bem típico de mim. Um beijo!

PS: A foto do seu profile está fe-no-me-nal.

Tacia Munhoz disse...

Noossa, adorei o texto!!!
Analise perfeita!!

B-jos

Flávia disse...

Ser sustentada pelo marido tem suas vantagens...hehehe. A gente não quis ser independente?
Pensamos errado, só aumentamos nosso número de tarefas...rsrsr

Beijos!

nina disse...

oi ... adoreii seus textos ...

haaa ... valew pela visita no meu blog ....

bjs ...

disse...

Oi Dani,
Desculpa a demora pra visitar seu blog. Adorei e voltarei sempre.
Beijos

Luiz Carlos Reis disse...

Na próxima encarnação, se há reencarne mesmo, quero ser mulher. O meu lado feminino sempre foi aflorado,na forma lésbica...rs!
Me desculpe a brincadeirinha!
É fato que as mulheres nas décadas de 2o tinham o romantismo e suas vertentes apuradíssimas, viviam uma "la belle" época. Ao longo dos anos e décadas conquistaram com muita justiça o posto de "Divas"...essas gloriosas mulheres ainda sofrem...mas seja sincera: O que seriam de nós homens sem a formosura delicada e matuta do sexo oposto?
"Fonte de mel nos olhos de gueixa, cabuki e máscara...choque entre o azul e o cacho de acácias, luz das acácias ...voce é mãe do sol...
A tua flor é toda tão certa ...beleza esperta!
Linda! E sabe viver...onda do mar do amor que bateu em mim..."enfim!
Caetano enfatiza na sua melodia!
Abraços e fique bem!

Luiz Carlos Reis disse...

Adorei teu texto!

Dani Vitrolinha disse...

Adorei o texto...
E adoro ser uma mulher moderna viu?
Apesar de que ás vezes cansa um pouco né??? beijinho xará.

Mineiras, Uai! disse...

Olá! O nome do seu blog me lembrou uma frase do poeta francê Paul Éluard que diz o seguinte: "Eu não soube impor os limites do meu peito ao meu próprio coração". Parabéns pelo blog e pelo texto, muito interessantes. Bela

Mikas disse...

Ah nao sei bem como era nos anos 20... mas nao me importava de ir lá espreitar.

Rebeca disse...

ta lindo o texto....
minha vida não é tão agitada assim...então não tenho muito do que reclamar!
mais compreendo vc!
=)
beijos

Luiza Lisboa disse...

Hummm... é foda né? Tem horas que estou dirigindo, pensando na faculdade, em estágio, em como entender as pessoas... derrepente olho pro retrovisor e penso:
"Devia ter passado um blush!"
Rsrsrsss...
Bjooooooos***