quarta-feira, agosto 23, 2006

PALHAÇO



Tem algum tempo que paro pra escrever e não consigo registrar meus doces, loucos e intensos pensamentos. Estava lamentando. Sonhando em escrever - sonhando mesmo, de acordar na madrugada sem fôlego – milhões de situações, de contos, de idéias. Mas nada de conseguir registrar. Isso me causou certo tipo de frustração!

Então, outro dia estava no meu leito, minha sensatez no teto do meu quarto, olhava para a lâmpada querendo entender alguns equívocos de coincidência da vida. Até que alguma luz saiu, ofuscou em meu corpo, na minha mente, me trouxe inquietação, me deixou de olhos bem abertos. Dei um salto da cama. Fiquei agitadíssima. Queria falar sobre os palhaços, sobre palhaços em forma de alegria.

Pensei no papel deles. Eles não precisam induzir inspiração, já são o próximo suspiro pra sua risada. Eles são artistas, e artistas que alegram a inocência de uma criança.

De repente, no meio desses estalos de meditação sobre palhaços, meu telefone tocou, era uma ligação interurbana, assustei e atendi. De repente, todos os palhaços que estavam em minha cabeça deram cambalhotas. Recebi um telefonema de uma grande amiga, jornalista, radialista, moderna, inteligente e palhaça!

Não gente, não pense no sentido pejorativo. Ela é uma alegria pra qualquer alma. Pros corações. Pras amigas. Pros colegas. Pra mim!

Então, no meio do circo de meu pensamento, apareceu ela, falamos da saudade, do próximo encontro, da próxima cerveja. Falamos da vida em segundos. Desligamos. Outra vez o telefone tocou, dessa vez não era interurbano, era uma outra amiga que coincidentemente também amiga dela que ligou.

Não economizei pra falar bem alto pulando da cama: - Sabe quem ligou??? Quando disse quem era, ela simplesmente me respondeu: -Nossa, ela é alegria na vida de qualquer pessoa. Encaixou. Todos já sabem, eu já sei, ela já sabe. Que essa amiga que hoje está longe deixou aqui todo encanto das suas risadas, das suas palhaçadas. Ela é uma verdadeira palhaça. Palhaça da vida que alegra a vida de qualquer pessoa.



Minha amiga da ligação interurbana chama Rack. A amiga que também é amiga da Rack, chama Mari (amiguda pra mim). E eu, sou a mais feliz por ter elas como minhas amigas.



Então é isso. Foi aquilo, AQUILO TUDO. Estava sem inspiração, demorou pra poder ter coragem de refletir e escrever. Porque a vida é assim. Ela faz pirraça pra depois colocar a palhaçada pra gente rir dela.



Rack, obrigada por ter aparecido, minha amiga e palhaçinha predileta!

2 comentários:

Rodrigo "Kiko" Torres disse...

Oi Dani (ou será que te chamo de Maria... ou Marias???),

Ainda bem que não fui eu que inspirei este texto: NÃO SOU PALHAÇO NÃO!!! kkkkk

Gosto de ver essas marias assim,
alegres e rindo pra mim,
salva vidas
num mar de iras.

Beijão.

Anônimo disse...

"Eles não precisam induzir inspiração, já são o próximo suspiro pra sua risada."

sensa!

“Amiguda” bom de-mais! Adorei, vou usurpá-la pra mim. rsrsrs

Aroeira