quinta-feira, novembro 30, 2006

NO FUNDO
















(Dani Morreale/Renato Villaça)

Ouso matar os anos
e viver a última estação
da obrade um homem.

Ouso mudar os planos
e morrer na primeira fração
da sobra.
E sumir...

No fundo mais fundo mais branco do tempo
ouso viver naquele azul desabitado.
No mundo de dentro me engendro, e pronto:
invento o mundo num aquário azulado.

Ouso contar as horas
e perder o tempo de parar
agora...pra sempre...

Ouso criar histórias
e viver a história do lugar.
Do tempo
da gente.

No fundo mais fundo mais branco do tempo
ouso viver naquele azul desabitado.
No mundo de dentro me engendro, e pronto:
invento o mundo num aquário azulado.

(Estou feliz do tamanho do céu. Parceria com o grande amigo, músico, compositor e mestre Renato Villaça. Quem quiser conferir mais, vai lá : http://musicaleidoscopica.zip.net/)

10 comentários:

Anônimo disse...

Oi! Dani

Poema mais lindo!
Menina vc sabe escrever!

Um abraço

Rebeca disse...

"Ouso contar as horas
e perder o tempo de parar
agora...pra sempre...

Ouso criar histórias
e viver a história do lugar.
Do tempo
da gente."

lindo d+ isso!!
ah, amei o template novo!
bjoO

Helena Oliveira disse...

Mais perfeito, impossível.

Mais uma vez arrazou dani!
Adoooro!


bjos

Fessor disse...

Coisa tua

assim que vi você
logo vi que ia dar coisa
coisa feita pra durar,
batendo duro no peito
até eu acabar virando
alguma coisa
parecida com você
parecia ter saído
de alguma lembrança antiga
que eu nunca tinha vivido,
mas ia viver um dia
alguma coisa perdida
que eu nunca tinha tido
alguma voz amiga
esquecida no meu ouvido
agora não tem mais jeito,
carrego você no peito
poema na camiseta
com a tua assinatura
já nem sei se é você mesmo
ou se sou eu que virei alguma coisa tua

Fessor disse...

Coisa tua

assim que vi você
logo vi que ia dar coisa
coisa feita pra durar,
batendo duro no peito
até eu acabar virando
alguma coisa
parecida com você
parecia ter saído
de alguma lembrança antiga
que eu nunca tinha vivido,
mas ia viver um dia
alguma coisa perdida
que eu nunca tinha tido
alguma voz amiga
esquecida no meu ouvido
agora não tem mais jeito,
carrego você no peito
poema na camiseta
com a tua assinatura
já nem sei se é você mesmo
ou se sou eu que virei alguma coisa tua

Alice Ruiz

Luiza Lisboa disse...

Olá!
Adorei!!!
Dei uma sumida mas tô de volta, amei o comentário que fez no texto "Males que vem pra bem"!
Bjim!!!

Dani Morreale disse...

Estou afinando meus planos!!!!!
Felicidades pra mim. Tim Tim

joão alguém disse...

Dani!!! Que coisa boa, sua poesia ta cada vez melhor! Muito tempo eu não passava por aqui, fiquei feliz d+! Parabéns! bjs

B R E N A disse...

Minha fofa, estive super ausente daqui, né?!
Cada dia mais entendo porque o nome do seu blog... sua alma não cabe em você porque ela é enooooooooooooooooooooooooorme, bonita!
Beijo grande.
AMEI.

Juliana Marchioretto disse...

ai, que coisa mais bonita!

obrigada pela visita, volte sempre, pq eu vou voltar, com certeza!

beijão