segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Cotidiano

Eu disse: tenho que ir. Não tive medo e fui no sossego sem pedir arrego. Quebrei a perna na primeira porta, mas achei a saída na mesma hora. Mamãe disse pra eu ficar, fui abusada e quis avistar. Mamãe nem sempre tem razão quando ela só manda no coração. Disse que ia arriscar e em cada risco fui encontrar, de todo caminho estreito descobrir que o dificil é existir. E que caminho estreito e inteiro é tão infinito mas é dele que posso ir. A rapaziada não acreditou. Eu disse de novo: eu vou, eu vou, eu vou. Todo mundo riu e minha cara amarelou. Mas agora aqui estou. Mais um vez nada incomoda. Só páro quando perco a hora e paro mesmo quando quero, meu jeito levo a sério. Não me irrita sua cara feia, gosto mesmo é de careta. Se tudo que já fiz não engrenou, o passado pelo menos ficou e se de repente tudo der pé, um pedaço de mim deixo a fé.E todo mundo vai morrer, tanto eu quanto você. Ninguém vai fugir da sentença nem quem prega milagre e quem tanto dispensa. Tô indo sem ajustar, não quero que ninguém preste atenção, não fico sem comer como aquele Garotinho sem noção. Se eu fizer greve vai ser por minha tese, ninguém vai saber, muito menos você. O que quero mesmo é fazer barulho pro meu ouvido, se você escutar é que quis entrar nele comigo. Vá cuidar do seu umbigo que do meu eu curo bem. E se quer saber a verdade. Estou vivendo minha vida é muito bem.

(*Devo alertar: textinhos aqui publicados podem e não podem ser ficção. No entanto, qualquer semelhança com a verdade pode e também não pode ser uma mera coincidência).

E por falar no meu cotidiano, tá aí o cotidiano mais foda. Do Chico interpretado pelo Arnaldo. Divirtam-se:







6 comentários:

marden disse...

Puro encanto...
Saudade demais...
Ah, eu vi o moço da canção, o dos olhos azuis, ao vivo, na terra dele que eu também queria que fosse minha...
Foi lindo, linda...
Bjos com açúcar e com afeto...

ricardo disse...

Faz muito bem garota,
das portas estreitas saem grandes monstros.
Mera coincidência ou não é uma realidade para todos.
bjosss Morreale

Deco disse...

O importante é não parar no tempo, nas cobranças e desilusões cotidianas. Continue seguindo! Bjs

Anônimo disse...

JÁ É!
TUDO.
AO MESMO TEMPO.
AGORA.
COTIDIANO DE AMORA.
DIA-A-DIA DE MOLA.
VAI-E-VEM.
E TUDO ANDA BEM.
ASSIM.
NO SIM, ESTÁ ZEN.

Vivian Nascimento disse...

Ui, adorei tanta novidade...

Tu rimas tão bem, tem expressas melhor ainda...

Saudades estava daqui, vou continuar lendo...

Abraço!

Carla Marin disse...

Prosa poética, moça faceira, que em meias palavras diz a verdade inteira...

Tão bonito!