segunda-feira, junho 16, 2008

Abaixo a censura

Que toda manipulação existe desde as extremidades esquerdistas e direitistas, neste mundinho múltiplo capitalista, é óbvio. Não há margem que somos o tempo todo, monitorados e também direcionados à inexistência de um porta-voz verdadeiramente ativo com interesses iguais a todos. Não sei quando nem como muito menos aonde vamos encontrar um apoio sólido que defenda em primeiríssimo lugar nosso meio ambiente (sem preservação e auto-sustentação há quem diga e as evidências indicam que ao passar dos anos a água será escassa como muitos animais hoje estão extintos, os ares poluídos e a degradação vista simplesmente como uma transformação natural – isso mesmo, referente à própria natureza). Que defenda a liberdade de sensos – que a “geléia geral” tenha em suas mentes instruções a manter um posicionamento crítico, sem discurso marcado de interesses miseráveis – dou-lhe uma e dêem-me algumas.

Que defenda a contra censura, isso mesmo a CONTRA CENSURA. Nos tempos dois mil e bolinhas assistimos sentados no sofá a saúde nos bolsos de magnatas e uma defesa fantasiada de seu reino. Os quais tapam os olhos da classe majoritária que não concluem os passos levados ao calabouço através de meios de comunicação abertas e BEM PAGAS. Na divisão das águas, dos que puderam à oportunidade de estudos e dos que não puderam, dos que podem aos acessos das novas tecnologias e dos que não podem, há uma incompatibilidade em números, falo principalmente aqui, no Brasil, dos que aceitam e que não aceitam calados. Penso como alastrarmos a voz fora dos meios baratos e arrancarmos estas vendas vendidas dos pobres manipulados. Não temos um sistema firme para criarmos movimentos revolucionários, este tempo já era. Seremos massacrados pelos poderes. Entraremos no bolo daqueles formadores de opiniões que foram demitidos dos grandes veículos de comunicação, apenas por expressar VERDADES. Até mesmo os críticos, neste instante de tensão, se calam por excitação de seus aconchegos. Pra quê enfiar a boca no trombone? Ah não, dá muito trabalho... Poderão perder suas reputações na sociedade. E amanhã? Vão tomar cafezinhos, lerem os jornais e rirem com deboche das falcatruas finais das CPIs sempre terminadas em pizza. Confesso, também sinto receios, mas não posso calar diante de minha indignação. Nem cito a criminalidade nos morros, muitos vitimados e orientados pela própria corrupção que sai da base do planalto.

Salvo aqui, não tenho interesse político, não levanto bandeira de nenhum partido que abasteça uns e abortam outros. Também não sou isenta do meu posto, nem sigo o fluxo conforme o tráfego. Pudera eu ter àquela voz que cito ali em cima, de orientar e defender o que nos parece ser mais justo/evidente. Fico apenas inconformada com toda esta manipulação que a mídia faz sempre em cima da balança, com o peso bruto do dinheiro. É o que movimenta o mundo sem medo de o mundo parar de movimentar.

Segue abaixo o vídeo sobre a CENSURA no governo de Minas Gerais. Como disse minha amiga Brena Braz, assistam logo, antes que o governo mande/pague o youtube tirar fora do ar...



Abraços e boa semana pra nós – com sensos e sem censos.


3 comentários:

Bia disse...

Adorei o texto, concordo com ele em vário sentidos, e vejo, também, que muitas pessoas com consciência deixaram de falar, por que acham que não vale a pena...Uma pena. Mas confesso que até eu, infelizmente, me canso de estar indignada, às vezes sinto que tenho que me resignar com a corrupção no Brasil.
Porém, as melhores causas são as que parecem perdidas.

Bom texto

Beijos

Talita Corrêa disse...

Parece que não existe mais preocupação com o que é necessário! Alguns preferem se preocupar com o mais fácil.

É trsite.

Bjs

marden disse...

TAMBÉM CONCORDO COM O MAKELY KA!