segunda-feira, junho 09, 2008

Pra lá dos ortodoxos... sem mantras!




Deglutindo o blogue Letras Despidas no post "Orientação de dois valores na língua” divagando com muita pressa cheguei num assunto que gosto muito. Deixei um comentário lá que me valeu este post aqui...

E por que não pensar que entre o certo e errado não existe nenhuma distância? O que é errado para mim pode ser certo pra você, e vice e versa. Na verdade os paradoxos se interagem, aí que formamos o senso-real/irreal crítico. O que prevalece é o individual. O meio em que cada um vive e os acessos que os orientam e os disponibilizam.

Na verdade não existe verdade, na mentira não existe mentira. Depende de como cada um compreende e interpreta e/ou interpela cada situação.

Pense na cultura de cada nação, existem paradoxos de bases aos extremos! Oriente Médio versus Ocidente. Não há menção para julgarmos meio-termos. Se levantarmos argumentos justos corre o risco de cairmos sem saber a forma justa de se levantar.

Dentre a distância deste paradoxo, prefiro pensar no ser a ser flexível. Compreender os sentidos por meio das vontades. Acionar as vontades pelos sentidos. E sentir, compreender, desentender e recriar formas/fórmulas de habitar dentro e fora deste mundo codificado.

4 comentários:

Rogério Saraiva disse...

Lembre-se, não sou palhaço, sou mais, sou poeta. Bom te ver no Palácio. Abraços!

Talita Corrêa disse...

Que bom seria se todos compreendessem dessa forma. Eu mesma sempre me julgo por umas atitudes.

São desejos que ficam escondidos à sete chaves. A vergonha de ser criticada não me deixa pensar mto.

Bjs

Helena Oliveira disse...

Então...
Concordo e discordo.
Concordo quando você diz que não há distancia entre o certo e o errado. Cada ser se serve de uma determinada forma. E a toma.
Discordo ''Compreender os sentidos por meio das vontades'' porque nem sempre podemos compreender nossos sentidos pelas vontades.

Nossas vontades nos enganam. Os sentidos, não. Vontades são inúmeras e despertam conhecimento. Já os sentidos são sentidos e ponto. Não há intervenção no sentir. Há?

Linda estou com a cabeça a mil e racionalizando em tudo. Me desculpe penetrar assim.

Você já está no TOPO! Beijos!

philippe_albuquerque disse...

bom demais? =
gostei do seu blog, moça
[realmente bom demais]

esse texto eh muito interessante,
vc tem propriedade pra escrever,
instigante, eh um texto muito bom,
por mim teria comentado em todos os que li
[não li todos, mas gostei muito dos muitos que li]

realmente, gostei

posso te adicionar à minha lista de pontes no meu blog?

um abraço e um beijo,
ateh breve