segunda-feira, setembro 08, 2008

potente

Aquilo que chega
É um dilatar
Do espaço que [ante]cede
As horas dos olhos

E em cada canto
Um resto de história

E em cada história
Um conto de resto

A vista,
Aquela que não chega
São lentes de aumento
Miradas ao astro
Como fogo poente

5 comentários:

Renato Villaça disse...

bonito, heim...
acha que não tá na hora do livro, heim?
pô! tente!
bj.

Alê Quites disse...

em cada resto
parte do que somos
ou desejamos ser.

Lindo!

Beijos, flor***

brasilidade disse...

Lindo...
Simplesmente lindo.

Helio disse...

Merece muitos Click's...

Aroeira disse...

muiiiiito bom. alilás, venho lendo lá de cima. cada dia mais vc se firmando na pena. parabéns! suas letras são densas.