terça-feira, fevereiro 03, 2009

amanhã ser

Quando o silêncio reclamar no escuro. Quando o sol estiver no quarto estágio do sono. Quando os roncos zunirem à mira do despercebido. Quando o relógio não mais distanciar os ponteiros. Se você se descobrir no vazio-branco mais discreto desta pausa, sentirá capaz de diminuir em um ponto, ou, em uma ponta. Nessa hora, quando a renúncia do mundo doer, revire a solidão pela aparência, abandone-a. Pegue seu ponto fraco e sua ponta fresca. Escreva um verso livre no vento. Solto como quem ousa despertar o bocejo. Acorde. Ali na frente há vida que espera. Como um abraço que chega de surpresa numa manhã.

4 comentários:

zé disse...

amanhã ser?

Daphne disse...

Gostei da construção da estética!
E ainda estou tentando lembrar uma que vi e achei a sua cara pra te dar de presente!

Dar uma palavra a alguém é algo muito bonito, e pra vc serve como um charme!

beijos

Helena disse...

a manhã ser o dia de hoje,
acorda. amanhã será tarde demais, adormeço.


Lindo! ♥

rogerio santos disse...

super bonito...
beijos