segunda-feira, março 23, 2009

Era



que Era

aquela força na parede

onde os tics ataques correm mais

relógios se calam pro fim

isolam veemente meu tempo fugaz

que fim? há tanto recomeço

mas desaprendi a inventar desvios

os ponteiros não assobiam mais

cansaram, morreram antes da hora

descobriram o fim e a chegada

Era voltas, revoltas, reviravoltas

uma vida sem sair do lugar

5 comentários:

Talita Corrêa disse...

"Uma vida sem sair do lugar"
Me sinto assim algumas vezes...

Bjs

On The Rocks disse...

"quando você chegar no topo de uma montanha, continue seguindo em frente".

kerouac. acho.

buenas!

poesia disse...

olá poeta.


sou sua poesia.
aquela que você volta e meia reencontra, se apaixona, se declara, engana e logo depois abandona.
pois bem; estou de volta.
mesmo ainda distante e bloqueada.
mesmo ainda latente e censurada.
porque, apesar de minha poeta
sou eu tua dona.
e se achas enfim que me domas
domada já estás aí dentro.
no centro das suas tramas.

Vanessa Pimenta disse...

Onde andarás o meu ponteiro?
bjo
adorei a surpresa do blog

monica mosqueira disse...

Gostei do seu blog!
Voltarei+vzs*)

Vou deixar alguns links dos meus..
Quando puder,visite!

delazari.zip.net
musicgeneration.zip.net
monicadelazari.blogspot.com