terça-feira, maio 04, 2010

Sobre qualquer poesia

Às vezes
Odeio a poesia
Porque sei dos parâmetros da estética
E não suporto parar no limite da razão
Às vezes
Finjo que sei fazer poesia
Outras, até discuto alguns conceitos
E compreendo o gosto crítico
Às vezes
Eu traio a poesia
Como a mim mesma
sem crédulo algum
Às vezes
A poesia me transfigura na rasura
E gosto disso
De materializar qualquer pira
Às vezes
Me permito à adoração
E adoro esquecer processos
dos mais criativos, ordinários e imbecis
Às vezes
Eu não quero ser eu
E tenho vontade de burlar minha história
De todo dia...
Às vezes
Gosto de escrever poesia
Das muitas vezes não escrevo
Mas topo com situações que se eu pensar muito, escrevo.


5 comentários:

Luciano Camargo disse...

Olá Dani.
Passei por aqui.
Adorei seu blog, tudo muito bem escrito e com sentimento, coração, emoção.

Parabéns!
Um grande beijo
Luciano Camargo
www.twitter.com/zcloficial

3ernardo Tavares disse...

Sou assim com música.

às vezes tento fugir da rima que não me permite dizer o que realmente quero.

Erica Maria disse...

Adorei o poema, estava mesmo com saudades de vir aqui, ler vc...

Bjos e estou te seguindo viu?

Michele Peixoto disse...

Querida Amiga Dani, adorei este poema e se me permitir gostaria de posta-lo em meu blog.
Abraços!
michelepoetando.blogspot.com

Michele Peixoto disse...

Querida Amiga Dani
Adorei este poema.
Gostaria até de posta-lo em meu blog.
michelepoetando.blogspot.com
Abraços