sexta-feira, junho 16, 2006

CUPIDO



Ele buscava no infinito. Conhecia seu rosto, seu mundo e lugares. Mas nunca ouvira sua voz. Conheceu antes mesmo nas letras rastreando seu físico entrelinhas. Disse que conheceria face a face. Tinha a verdade escondida nos dedos e a ânsia exposta no suspiro. Foram três dias se descobrindo. Ele e Ela. Mal completava o terceiro e fez acontecer seus dizeres, conheceu nos olhos e já laçou o conjunto da menina. Vestia camisa de botão que mal sabia ser a mais simples veste para despir sua alma. E ela, tão simples ao desacreditar no mistério da paixão não se deu ao trabalho de colocar a melhor roupa nem passar o melhor perfume, com o cabelo preso e o coração de criança pulando, fora ao encontro sem muitas satisfações, mas com uma curiosidade infinita de saber quem era o dono daquelas palavras.
E fora defronte ao portão vermelho da casa 187 que eles se olharam e abraçaram. Ali, parados, ouvindo o barulho que vem de dentro para fora. Ali, sentindo o calor do sangue que correra acelerado.
E um tal anjo invisível desses que fazem bagunça e não mede as flechadas, disparou para todos os lados em noite escura de lua de prata. E uma só flecha abusada envolveu os dois corpos quando abraçavam.
Foi o momento em que o anjo sussurrou no ouvido dele: Ela é sua, e não perca mais tempo!
Ele não hesitou meio segundo. Disse que queria ser dela. Apenas dela. E ela sorriu sentindo a felicidade do mundo.
O anjo contempalava e festejava. E ali estava mais uma missão cumprida.

13 comentários:

joão alguém disse...

Não sou gênio, mas já que foi feito o pedido, eu atendo:

como azuis gaivotas
se perdem das paredes
para pintar-me de mar

moldura
entre duas sobrancelhas
e o céu que desborda o olhar


Ainda restam 2 pedidos. Depois, por favor, devolva-me as asas, quero cumprir minha missão!

Conto Saudades disse...

Nossa m,enina estava inspirada hein! Beijocasssssssssss.
Obs: sou do blog alma: www.alma.blogger.com.br

dudv disse...

Linto texto. estava com saudades.

http://dudu.oliva.blog.uol.com.br

B R E N A disse...

Lindona, quanta inspiração, hein?!
Tem gente apaixonada por aqui?! Rs
Beijos

Luiza Lisboa disse...

Glub! (engoli a seco)
Liiiindo texto, me identifiquei!
Amei a parte do coração de criança pulando no peito! Seria o meu coração? hahaha...
Obrigada por entrar mais uma vez nos bastidores!!!
Posso te pedir um favor?
Como vc colocou "blogs que leio"?
A Brena (aí de cima) tentou linkar pra mim mas estava ficando tudo torto! Como nossa decoração é igual (hehe...) pensei q vc saberia me ajudar!!!
Heeeeeelp...qualquer coisa, me passa seu e-mail que eu te passo minha senha e o nome dos blogs!
Brigadinha!!!
Bjim***

Joao Guandalini disse...

Perfeito...

Essas coisas não obedecem rituais, só mesmo o destino dar as suas caras, escolher as pobres almas e batata, eles foram felizes pra sempre, hehehe Saludos!

Tacia Munhoz disse...

O amor é realmente algo muito lindo!
Pena meu cupido ser burro.. rs
Beijos

Déborah Tolentino disse...

Que lindo isso.. Mas é engraçado, parece que conheço essa historia, só nao me lembro de onde... rsssss bjokssss

B R E N A disse...

Bem observado, Dé...
Também conheço essa história, mas não teve nada a ver com casa 187... era mais pra 666...
Mas não é da minha conta!
Beijos, Dani.
Vc arrasa sempre!

Wev's disse...

Fantastico os detalhes, os barulhos que ouvia...simplesmente lindo...

Déborah Tolentino disse...

Psiu!!!! Aparece aí!!! Onde anda sua inspiraçao???? Bjoksss

Anônimo disse...

Your are Excellent. And so is your site! Keep up the good work. Bookmarked.
»

Anônimo disse...

Nice idea with this site its better than most of the rubbish I come across.
»