sexta-feira, junho 01, 2007

sentiventos

Todo começo existe pra dar espaço ao outro que re-começa. Pra dar espaço ao que interessa. E o que interessa sempre é um presente. Um presente delicioso de sentir vivo. De desembrulhar o pacote dos instantes muitas vezes insensatos e intensos. A mala de viagem é tudo e o todo que preenche tais espaços. Uma bagagem de cheiros. É o que te molda e modela. É o que te faz e revela. Casos passados não são descasos. É uma parte binária de constatar o hoje no esconderijo secreto de guardar o ontem (a semântica do terciário fantástico). Contemplar a vida é buscar atrás a urgência da essência - que ao longo do percurso se desgasta, embaraça e perde a beleza de toda graça. É preciso apreciar as cores. Apreciar as dores. Apreciar as flores e tudo que existe. E a gente sabe o prazer dessa graça... Porque a apreciação fabulosa se baseia pelo reconhecimento que ultrapassa nosso eu-inexperiente, através da memória registrada de gerações e gerações. Pois tudo que é consciência transcende e o que somos é a exatidão dos segundos que atropelam mais segundos e segundos e segundos conscientes. Assim somos nós. Seres que pensam que reconhecem que pulsam e transcendem. A minha lógica de existir é permitir. Do gozo ao gosto. Da libido ao acontecido. É assim que observo e sinto.

(Dani Morreale – 01.06.2007)

2 comentários:

sergio disse...

Do gozo ao gosto. Da libido ao acontecido. É assim que observo e sinto.
hum...libido...libido para a vida...libido para respirar...para existir...viver...fazer e acontecer..


gostei..to preisando de mais libido

bju dani..

Thiago Quintella disse...

E com sentidos bem apurados! Senti os cheiros!